Falar de dinheiro com a família é sempre delicado, principalmente porque, além dos laços afetivos e da construção social em cima do termo “família”, há as crenças dos próprios membros sobre dinheiro. 

A forma como enxergamos o dinheiro reflete nas nossas relações sociais. E quando colocamos sentimento no meio, então… é daí que surgem as famosas discussões no meio da cozinha: “Se você me amasse, me emprestaria dinheiro!” ou ainda, no caso de familiares tóxicos que não compreendem o seu momento: “Olha tudo que já fiz por você! Não seja malvada, pode emprestar, afinal, a gente é da família”. 

Misturar dinheiro e família não costuma resultar em boa coisa. Todo mundo conhece ou já ouviu alguma história no círculo familiar, de alguém que emprestou e ficou a ver navios.  

O problema é que, por mais que as histórias sejam conhecidas, os pedidos continuam acontecendo. Logo, cabe a você aprender a dizer não. 

Sei que não é fácil, por isso, neste artigo, vou apresentar 4 razões para não emprestar seu dinheiro e 1 forma de ajudar sem todo aquele peso – isto é, se você for capaz.

Por que não emprestar seu dinheiro a familiares?

  1. Quebra de confiança e manipulação mental

Só porque alguém “é da família” não significa que você pode depositar toda sua fé e confiança. Se é um parente distante, tanto pior, pois como não há convivência, você não sabe muito bem quais são os valores e hábitos dele. 

Se quem pede ajuda é o pai ou a mãe, o enrosco continua grande: dependendo do vínculo afetivo, você pode sentir que está sendo manipulada mentalmente. Se estiver diante de um pai ou uma mãe tóxicos, pode até sentir que “deve” algo a eles por tudo que já fizeram ou simplesmente por lhe darem a vida. Mas acredite: você não deve nada.

  1. Você não tem condições de ajudar

Simples assim. Você é aquela pessoa que todo mundo na família admira, que batalha muito pela sua independência, construída com tanto esforço e que taí, economizando para seus projetos pessoais ou que finalmente saiu de uma relação onde o parceiro te sufocava e sugava até o seu dinheiro, aí vem a família para testar a quantas anda a sua capacidade de dizer “não”. 

Se as suas contas mal estão fechando, se você tá até fazendo consultoria financeira porque quer melhorar a sua relação com o dinheiro, se anda assistindo vídeos de como economizar e fazer sobrar grana no fim do mês, preciso mesmo te falar que você não tem condições de ajudar?

  1. Quem pede uma vez, pede duas e pede três

Não caia naquela conversa de “É só dessa vez”ou “É só até as coisas melhorarem”. Como as coisas irão melhorar se você está sempre tapando o buraco de alguém e não permite que essa pessoa realmente busque outras alternativas? Saber que podem contar com você, caso qualquer coisa dê errado, estimula que o comportamento se repita, criando uma zona de conforto.

  1. Esse dinheiro não voltará

Pois é. E, uma vez que o dinheiro emprestado não volta, você pode imaginar o combo de sentimentos que irão surgir: culpa, medo, vergonha… tanto da sua parte quanto da outra. Pode até rolar uma separação! Afinal, quem quer ficar naquele ar de embaraço no meio de uma reunião de família? 

Mais complicado ainda se a pessoa a quem você emprestou agir como se nada tivesse acontecido… é, acontece bastante. Por isso, minha solução, se você realmente quer ajudar, é…

… DOAÇÃO!

Isso mesmo que você leu: DOE. Dê, sem esperar que o dinheiro volte. Dê com a melhor das intenções, desprenda-se. 

E se a pessoa começar o discurso do “Olha, eu vou te devolver, viu, conte comigo, eu não sou dessas pessoas malandras, acredite em mim”, trate de acalmá-la e diga que não precisa. Deixe claro que você está fazendo uma doação. Assim não se cria clima, expectativa e ambos ficam com o coração tranquilo. 

Mas claro: doe se PUDER doar. Se não… volte o artigo e leia todas as dicas novamente! 😉

E aí, gostou? Já viveu algumas das situações descritas? Já emprestou dinheiro para algum familiar e se arrependeu? Compartilhe comigo nos comentários! 

 

Quer saber como desenvolver uma relação mais saudável com o seu dinheiro? O coaching pode ser a opção certa para você! 🙂

Dinheiro e família: como dizer não

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *