O Produto Interno Bruto é o fator principal de influência nas discussões sobre a queda ou o bom desempenho econômico do país. Ele representa, basicamente, a soma (em dinheiros) de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região durante um período específico. No entanto, nem tudo que realmente conta está inserido neste contexto. Poucas pessoas sabem que o PIB acaba ignorando aspectos relevantes para a economia nacional. O problema todo é como ele é medido e calculado.

 

Uma definição realmente arbitrária

 

Nós mulheres fazemos a maior parte do trabalho não remunerado, arrumando a casa, cuidando dos filhos, equilibrando os gastos da família. E isso não é levado em consideração pelo PIB. Mas eu te pergunto: será que apenas o que se compra e vende deve ser registrado? Não de acordo com Marilyn Waring, escritora e ativista da Nova Zelândia.

Ela assinala que o PIB ignora sistematicamente o trabalho feito pelas mulheres, em seu livro intitulado If Women Counted. Nele, Waring enfatiza que existem ações e atividades que são importantes para a economia, fazendo comparativos vivenciados pela sociedade. Para a escritora, ele tem uma definição realmente arbitrária.

Além disso, com sua obra, a autora provoca a nossa reflexão. Por que quando a comida é vendida, cozinhar é um ato economicamente ativo? E quando a mulher cozinha dentro de casa, isso não é considerado? As opiniões de Waring e de outras economistas ajudaram a moldar argumentos sobre a medição do Produto Interno Bruto.

 

Por que é importante inserir as mulheres no PIB?

Se tem sido assim desde sempre, por que agora se discute a inserção do trabalho não remunerado no cálculo do PIB? Para dar visibilidade a atuação da mulher e contribuição dela para o setor econômico.

Várias iniciativas tem sido feitas para medir e incorporar esse trabalho não remunerado nas estatísticas da produção econômica. É de grande valia que as ações voluntárias, por exemplo, sejam exaltadas e reconhecidas.

A gente está cansado de saber que existem mais voluntárias do que voluntários no mundo, certo? E essa medição sexista no PIB expressa o desrespeito com as ações e trabalhos produzidos pelo gênero feminino. Muitas vezes, os grandes economistas e estudiosos esquecem-se de levar em conta o mundo em vivemos.

As condições e oportunidades de trabalho ofertados para mulheres e homens não são iguais. Ou seja, nem toda mulher tem condição de contribuir com a economia, gastando a renda salarial, por exemplo. Mas suas ações influenciam, E MUITO, nas finanças de um país.

 

O voluntariado também deveria entrar na conta

 

Raciocinem comigo: quantas ONG’s você conhece? Quantos abrigos para crianças e idosos não mudaram, economicamente falando, após ações de voluntariados? Esses fatores só comprovam a necessidade de reconhecimento no âmbito do PIB.

E tem mais. A quantidade de trabalho voluntário está aumentando e claramente fazendo uma valiosa contribuição econômica. Temos vários exemplos de bens digitais gratuitos que ajudam pessoas em todo o mundo.

As pessoas que fornecem esses conteúdos podem estar fazendo isso como parte de um trabalho remunerado, alguns como hobby; ou talvez esperando que se transforme em um trabalho pago mais tarde.

O foco de longa data apenas nas atividades comercializadas distorceu percepções, políticas e o próprio Produto Interno Bruto. Não há boas razões para continuar ignorando outros componentes importantes do bem-estar econômico, incluindo o trabalho não remunerado das mulheres.

 


Quer saber mais sobre investimentos? Baixe o e-book gratuito sobre Tesouro Direto.

Aceito amor e uma xícara de chá se você gostar. ?

O PIB ignora as mulheres
Classificado como:

Deixe uma resposta