Existem pessoas que parecem nascer já sabendo o que querem “ser quando crescerem”. Eu nunca fui uma dessas. Na época do vestibular, peguei a lista de cursos e eliminei os que não queria fazer. Foram poucos. A lista continuou enorme, e a indecisão me acompanhou boa parte do meu tempo de carreira.
Se você está nessa dúvida também, posso lhe dizer: calma, é normal. Uma hora você descobre, mas é bom estar atento. Pra mim, foram esses cinco passos que funcionaram. Depois me conta se deu certo para você. 🙂

 

1) Descubra sobre o que você poderia falar sem parar 

 

Quando conheci o Projeto “Falar sem Parar”, fiquei alguns dias me sentindo meio vazia. Porque eu não saberia dizer sobre o que eu poderia falar sem parar. Eu gostava de literatura, jornalismo, educação, editoração, economia, design, feminismo, atuação social (e a lista só aumentava), mas nada disso me fazia brilhar os olhos.

A pergunta insistia em me rondar. Sobre o que eu poderia falar sem parar? Foi só quando parei para analisar tudo o que eu amava e o que eu já fazia que surgiu a ideia de empoderamento feminino financeiro através da educação a distância. Unia o que eu já fazia, conteúdo e design de materiais didáticos para educação a distância, a dois novos campos que eu amava e já estudava: feminismo e economia.

 

2) Liste suas aptidões e suas “oportunidades de melhoria”

 

Sabendo o caminho que você quer seguir, o próximo passo é saber onde você está. No meu caso, eu dominava uma das três grandes áreas necessárias. Dentro da área de educação a distância, eu dominava produção de textos, diagramação, avaliação e feedback dos participantes. Minha formação em jornalismo me dava isso.

Já a segunda área, o feminismo, fazia parte da minha vida há muito tempo, mais de forma empírica do que teórica. O problema maior era na seção de economia. Eu entendia sobre o assunto, tinha estudado muito sobre finanças pessoais e aplicava na minha vida, mas não tinha um título de peso.

Então, minha avaliação ficou mais ou menos assim:

Pontos fortes:

Domínio de design de cursos de educação a distância
Domínio de produção de conteúdo

Oportunidades de melhoria:

Teoria sobre o feminismo
Aval do meu conhecimento financeiro

 

3) Estude o mercado

 

Sabendo onde estava em termos de capacidades, parti para conhecer o que estava sendo feito nessa área. Procurei por projetos iguais aos que eu queria lançar, fiz contato com pessoas que se interessavam sobre os assuntos com que eu queria aprender, listei os “concorrentes”.

Por fim, a ferramenta que eu mais gostei de ter usado: enviei aos meus amigos e conhecidos uma pesquisa por e-mail, solicitando que eles respondessem a algumas perguntas sobre mim. A mais importante era “Você apoia que eu desenvolva uma prática de coaching financeiro como atividade de trabalho secundária? Por quê?”. Recebi respostas incríveis de incentivo, que me mostravam que eu estava no caminho certo.

 

4) Converse com pessoas

 

Depois do recurso “enquete sobre a minha vida profissional”, rs, muitas pessoas vieram falar comigo sobre o projeto. Algumas pessoas indicaram outros contatos, outras pessoas indicaram cursos e eventos que eu deveria participar.

Foi a partir dessa rede que se formou espontaneamente que consegui amadurecer a ideia. Cada um que chegava agregava uma solução à discussão, e com cada um com que eu falava, mais real se tornava o sonho.

 

5) Entre em ação

 

Com a energia gerada pelas conversas do passo #4, eu voltei à minha lista de “pontos a melhorar”. Eu ainda teria que desenvolver as áreas de teoria sobre o feminismo e obter aval do meu conhecimento financeiro.

Sabendo do que precisava, criei um plano de ação para sanar as lacunas. Na área de teoria sobre o feminismo, concluí que o melhor era ler os livros clássicos feministas. Elegi os quatro mais reconhecidos e me dediquei a eles.

Já para poder apresentar “credenciais” na área financeira, procurei um curso que mais se encaixasse na minha ideia de projeto. O coaching financeiro foi escolhido por isso. Estabeleci metas (ler um livro por semana), coloquei datas, fiz uma lista de próximos passos. Isso me fez ter ainda mais certeza sobre o que eu queria e sobre como chegar lá.

—–
E aí, curtiu as dicas? Como você faz para definir seu futuro profissional?  Tem mais sugestões para completar a lista?  Conta pra mim nos comentários!
5 passos para definir seu futuro profissional
Classificado como:

Deixe uma resposta