Eu sei que parece difícil, mas está na hora de parar de procrastinar e começar a investir. Você vai ver que é bem mais simples do que você imagina. Vamos juntas!

 

1. Trace um plano para a sua meta

Escolha algo que você quer conquistar. Pode ser uma viagem, uma compra, seu apartamento, ou sua reserva de emergência. Determine um prazo e o valor a ser alcançado. Vamos supor, por exemplo, que você deseja viajar para a Europa em 2020, e para isso você precisa de R$ 10 mil.

Para que você consiga enxergar o caminho a percorrer, nada melhor que um plano bem estruturado. Pegue uma folha de papel e divida em três colunas. Na última coluna, inicie com a data final da meta. Abaixo, coloque o valor total necessário e todos os recursos de que você irá precisar (férias, passagens, hospedagem, malas, roupas etc). Na coluna do meio, comece com a data correspondente à metade do prazo final da meta. Em seguida, coloque a metade do valor e os recursos necessários até a metade do prazo (marcar férias, fazer roteiro, comprar passagens e confirmar hospedagem, no nosso exemplo). Na primeira coluna você irá listar os recursos que você tem hoje (o valor já poupado, o local escolhido, as malas etc). Divida o valor final pelo número de meses até o prazo para ter uma ideia de quanto precisaria poupar. Caso você não disponha desse montante agora, DON’T PANIC. Comece com o valor que tem e depois aumente. Assim você saberá o que precisa fazer até chegar na meta.

 

2. Cadastre-se em uma corretora e aprenda sobre um investimento

Entre no site de uma corretora e faça seu cadastro. A maioria das corretoras não exige mais a presença física para abertura de conta, e você não paga nada por isso. Pode ser a sua corretora do banco ou uma independente, sem problemas. Por enquanto, o principal é ter acesso ao investimento que você escolheu.

Existem muitas opções disponíveis no mercado, e com certeza alguma agradará você. No entanto, vamos começar pequeno, ok? Escolha apenas uma opção de investimento e aprenda o máximo que puder sobre ela. Leia as explicações na internet, talvez um livro, assista vídeos. Eu recomendo que você comece com a poupança, Tesouro Direto ou CDB, e vá diversificando aos poucos. Certifique-se de ter compreendido seu funcionamento até o ponto de poder explicar para alguém. Você não precisa ser expert em tudo, mas sim conseguir alcançar o mecanismo de funcionamento daquele investimento específico.

 

3. Automatize os investimentos

Nesse primeiro momento, o mais importante é manter as coisas simples (por isso escolher apenas um investimento e aprender o fundamental sobre ele). Se for muito complicado, você acabará abandonando no meio do caminho. Então, minha dica de ouro é: automatize o máximo que puder. Já falamos sobre isso aqui, mas vale lembrar que a maioria das alternativas de investimentos oferece essa opção. Se você acha que não tem disciplina ou paciência para seguir o plano, programe os depósitos nas datas em que você sabe que haverá dinheiro (por exemplo, o dia em que você recebe seu salário), para que isso se torne um hábito fácil.

Depois, aos poucos, você irá se acostumando com a ideia de o seu dinheiro trabalhar para você conquistar suas metas e tudo fará mais sentido. Chegará a hora de você rever sua estratégia e voltar ao ponto de estudar um investimento. Mas, por enquanto, deixe o mais simples possível.

 

Quer saber mais sobre investimentos? Comece pelo Tesouro Direto. 🙂

Três passos práticos para começar a investir agora mesmo
Classificado como:    

Deixe uma resposta