Apesar do crescimento econômico e das políticas destinadas a reduzir as desigualdades, as diferenças salariais relacionadas a gênero e etnia continuam sendo significativas nos países latino-americanos, em especial aqui no Brasil.
Mesmo com todos os avanços, nós continuamos a receber apenas 75% dos salários masculinos. Na prática, enquanto um homem recebe em média R$2146, recebemos R$1614 (dados da PNAD IBGE 2013). Ou seja, realizamos o mesmo trabalho, mas com remuneração menor. E isso é ainda maior quanto mais avançamos no grau de instrução necessário para o cargo.
Além disso, o número de mulheres inativas, sem salário mínimo e carteira assinada, é maior do que o número de homens. De cada dez mulheres, quatro de nós não conseguem colocação no mercado de trabalho.
E aí, como vamos mudar essa realidade? Conta pra mim nos comentários a sua opinião.
Por que prestar atenção à desigualdade salarial de gênero?
Classificado como:

Deixe uma resposta